Notícias

Relatório com os resultados da 1ª rodada da autoavaliação do CRG MM

A Corregedoria-Geral da União disponibilizou os dados das autoavaliações das 117 unidades correcionais que aderiram à primeira rodada avaliativa

Os dados da primeira rodada de autoavaliação das unidades correcionais do Poder Executivo federal já foram apresentados pela Corregedoria-Geral da União (CRG). Utilizando o Modelo de Maturidade Correcional (CRG-MM), cerca de 48% das unidades correcionais (UCs) que compõem o executivo federal aderiram, facultativamente, a essa primeira rodada, que aconteceu entre 14 de setembro a 13 de novembro de 2020. É interessante pontuar que essas 117 UCs que participaram (48% das UCs do executivo federal) representam cerca de 70% (716 mil) dos servidores da União e 83% (R$ 3,4 trilhões) do orçamento da despesa federal.

Diretrizes

Ao se criar o CRG-MM, a diretriz foi a priorização dos componentes essenciais à maturidade da atividade correcional especificamente do Sistema de Correição do Poder Executivo Federal (SisCor). Buscou-se aliar a simplificação da forma à qualidade e solidez técnica, proporcionando aos gestores do Poder Executivo federal a máxima relação entre custos x benefícios com a implementação do Modelo de Maturidade Correcional (CRG-MM).

O modelo pode ser facilmente adaptado para a avaliação da maturidade correcional nas demais esferas e poderes da administração pública nacional, já que ele foi idealizado e concebido com uma natureza transversal, de modo a alcançar todos os órgãos e entidades do Poder Executivo Federal, independentemente de sua natureza jurídica, porte ou área de atuação.

Reuniões de apoio aos planos de Ação do CRG-MM

No dia 10 de março, a Corregedoria-Geral da União organizou a primeira de uma série de reuniões com as unidades do Sistema de Correição do Poder Executivo federal (SISCOR). O objetivo das reuniões é apoiar a elaboração dos planos de ação relacionados aos KPAs (macroprocessos-chave) do Modelo de Maturidade Correcional (CRG-MM). O encontro contou com exposição conceitual de um plano de ação, e também abriu a palavra aos 90 participantes, que interagiram e relataram suas experiências com o CRG-MM, contribuindo para uma visão mais objetiva da importância desse instrumento no apoio para o cumprimento de etapas necessárias para a evolução da maturidade correcional.

O corregedor do BNDES, Vinícius Lima Magalhães, participou do encontro e afirmou que: "Elaborar um plano de ação para 2021 é importante para termos um "norte" de atuação, esforço que se alinha muito bem com o Modelo de Maturidade da CRG. Ele também serve como um instrumento de diálogo e sensibilização da Alta Administração".

Ao final dessa série de reuniões, espera-se que as unidades correcionais estejam habilitadas a elaborarem seus planos de ações e a utilizá-los como um importante instrumento de apoio para alcançarem seu nível alvo de maturidade. Os encontros acontecerão sempre às quartas-feiras.